O Sacerdócio no Livro de Mórmon

O Livro de Mórmon (LDM) mostra a importância da autoridade do sacerdócio no estabelecimento da igreja e em pregar o evangelho de Jesus Cristo. O sacerdócio tem existido por eternidade e tem vários nomes, incluindo “a santa ordem de Deus” ou “a ordem de seu Filho.” Profetas antes dos dias de Abraão foram ordenados de acordo com esta ordem, e não há duvida que sua inclusão no LDM foi necessário na organizaҫão da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. O seguinte é uma lista de referências que focam na doutrina do sacerdócio contido no LDM.

  1. Há muitos que tem o título de sumo sacerdote ou sacerdote

“E comeҫaram a organizar a igreja mais plenamente; sim, e muitos foram batizados nas águas do Sidon, unindo-se à igreja de Deus; sim, foram batizados pela mão de Alma, que havia sido consagrado sumo sacerdote do povo da igreja pela mão de seu pai, Alma” (Alma 4:4)

“Alma ordenou sacerdotes e élderes pela imposiҫão de mãos, segundo a ordem de Deus, para presidirem a igreja e cuidarem dela” (Alma 6:1)

“Ora, como falei sobre a santa ordem, ou seja, este sumo sacerdócio, muitos foram ordenados e tornaram-se sumos sacerdotes de Deus” (Alma 13:10)

“Sim, humilhai-vos como o povo nos dias de Melquisedeque, o qual também foi um sumo sacerdote desta mesma ordem de que falei” (Alma 13:14)

“Mas eis que eles eram mais prudentes que muitos dos nefitas, porque o prenderam e amarraram-no e levaram-no à presenҫa do sumo sacerdote e também do juiz supremo da terra” (Alma 30:20)

  1. Os que são sumos sacerdotes são chamados, consecrados, ou ordenados

“Eu, Alma, havendo sido consagrado por meu pai, Alma, como sumo sacerdote da igreja de Deus, tendo ele poder e autoridade de Deus para fazer estas coisas, eis que eu vos digo que ele comeҫou a organizer uma igreja na terra que se achava nas fronteiras de Néfi; sim, na terra chamada terra de Mórmon; sim, e ele batizou seus irmãos nas àguas de Mórmon” (Alma 5:3)

“Porque fui chamado para falar desta maneira, segundo a santa ordem de Deus, que está em Cristo Jesus; sim, fui ordenado a levantar-me e testificar a este povo as coisas que foram ditas por nossos pais concernentes às coisas que hão de vir” (Alma 5:44)

“E agora vos digo que esta é a ordem segundo a qual eu fui chamado, sim, para pregar a meus amados irmãos, sim, e a todos os que habitam a terra” (Alma 5:49)

“Segundo o espírito de profecia que estava nele, conforme o testemunho de Jesus Christo, o Filho de Deus, que viria para redimir seu povo de seus pecados, e a santa ordem pela qual fora chamado” (Alma 6:8)

“E comeҫou a ensinar o povo na terra de Meleque, segundo a santa ordem de Deus pela qual havia sido chamado; e comeҫou a ensinar o povo por toda a terra de Meleque” (Alma 8:4)

“E quisera que vos lembrásseis de que o Senhor Deus ordenou sacerdotes segundo a sua santa ordem, que era segundo a ordem de seu Filho, para que ensinassem estas coisas ao povo” (Alma 13:1)

“Eu, Jacó, tendo sido chamado por Deus e ordenado conforme sua santa ordem; e tendo sido consagrado por meu irmão Néfi” (2 Néfi 6:2)

“Ora, essas ordenanҫas foram instituídas dessa maneira para que, por meio delas, o povo pudesse ter esperanҫa no Filho de Deus” (Alma 13:16)

“Portanto, foram chamados segundo esta santa ordem e santificados” (Alma 13:11)

  1. A ordenaҫão à santa ordem é dado pela imposiҫão de mãos

“Alma ordenou sacerdotes e élderes pela imposiҫão de mãos, segundo a ordem de Deus, para presidirem a igreja e cuidarem dela” (Alma 6:1)

  1. A igreja é estabelecida pela ordenanҫa de sacerdotes, élderes, etc.

“E então aconteceu que Alma voltou da terra de Gideão depois de haver ensinado ao povo de Gideão muitas coisas que não podem ser escritas, tendo estabelecido a ordem da igreja como fizera anteriormente na terra de Zaraenla” (Alma 8:1)

“Aarão e seus irmãos foram de cidade em cidade, de uma casa de adoraҫão a outra, organizando igrejas e consagrando sacerdotes e mestres entre os lamanitas” (Alma 23:4)

“Sim, aquele mesmo Deus estabeleceu sua igreja entre eles; sim e aquele mesmo Deus chamou-me com um santo chamado para pregar a palavra a este povo; e permitiu que eu alcanҫasse grande êxito, com o que muito me regozijo” (Alma 29:13)

  1. A santa ordem existia para sempre e é uma semelhanҫa a Jesus Cristo

“E esses sacerdotes foram ordenados segundo a ordem de seu Filho” (Alma 13:2)

“Este sumo sacerdócio sendo segundo a ordem de seu Filho, ordem essa que existia desde a fundaҫão do mundo ou, em outras palavras, sem comeҫo de dias nem fim de anos” (Alma 13:7)

“Eram chamados com um santo chamado e ordenados com uma santa ordenanҫa, tomando sobre si o sumo sacerdócio da santa ordem; chamado esse e ordenanҫa e sumo sacerdócio que não tem comeҫo nem fim” (Alma 13:8)

“Tornam-se, assim, sumos sacerdotes para sempre, segundo a ordem do Filho, o Unigênito do Pai, que é sem princípio de dias nem fim de anos” (Alma 13:9)

“Sim, e eis que vos digo que Abraão não foi o único que teve conhecimento destas coisas, mas houve muitos, antes dos dias de Abraão, que foram chamados segundo a ordem de Deus, sim, segundo a ordem de seu Filho; e isso para que fosse mostrado ao povo, muitos milhares de anos antes de sua vinda, que na verdade receberiam a redenҫão” (Helamã 8:18)

  1. O sacerdócio é recebido por fé e justíҫa

“Melquisedeque, porém, tendo exercido uma fé vigorosa e recebido o ofício do sumo sacerdócio segundo a santa ordem de Deus” (Alma 13:18)

“E este é o modo pelo qual foram ordenados—sendo chamados e preparados desde a fundaҫão do mundo, segundo a presciência de Deus…são chamados com uma santa vocaҫão, sim, com aquela santa vocaҫão que lhes foi preparada com uma redenҫão preparatória e de conformidade com ela” (Alma 13:3)

“Eis que foi pela fé que os antigos foram chamados segundo a santa ordem de Deus” (Éter 12:10)

  1. A autoridade tem que ser dado para batizar e conferir o Espírito Santo

“E novamente o Senhor chamou outros e disse-lhes a mesma coisa; e deu-lhes poder para batizar” (3 Néfi 11:22)

“Tendo autoridade que me foi concedida por Jesus Cristo, eu te batizo em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, Amém” (3 Néfi 18:37)

“E a multidão não ouviu as palavras que ele disse, portanto não deram testemunho. Os discípulos, porém, testificaram que ele lhes deu poder para conferirem o Espírito Santo. E mostrar-vos-ei mais adiante que este testemunho é verdadeiro” (3 Néfi 18:37)

  1. Referências adicionais no LDM

“E assim, no comeҫo do nono ano em que os juízes governaram o povo de Néfi, Alma entregou a cadeira de juiz a Nefia e dedicou-se exclusivamente ao sumo sacerdócio da santa ordem de Deus, ao testemunho da palavra, de acordo com o espírito de revelaҫão e profecia” (Alma 4:20)

“que se humilham e seguem a santa ordem de Deus pela qual foram trazidos para esta igreja, tendo sido santificados pelo Santo Espírito” (Alma 5:54)

“para que andeis irrepreensivelmente perante ele, para que andeis conforme a santa ordem de Deus segundo a qual fostes recebidos” (Alma 7:22)

“Eu sou Alma e sou o sumo sacerdote da igreja de Deus em toda esta terra” (Alma 8:23)

“Ora, nada mais diremos a respeito de suas pregaҫões, a não ser que pregaram a palavra e a verdade segundo o espírito de profecia e revelaҫão; e pregaram segundo a santa ordem de Deus pela qual foram chamados” (Alma 43:2)

Como a História das 116 Páginas Perdidas do Livro de Mórmon pode Aumentar a Fé

Muitos críticos da Igreja dos Santos dos Últimos Dias identificam a história das 116 páginas perdidas do manuscrito original do Livro de Mórmon (LDM) como prova da fraude de Joseph Smith. Martin Harris, o escriba de Joseph, foi roubado das primeiras 116 páginas do LDM ao guardá-las em sua casa. Críticos dizem que isso foi uma prova da abilidade profética de Joseph, e ele falhou a prova porque não poderia traduzir de novo as mesmas 116 páginas roubadas. Joseph, no prefácio da primeira ediҫão do LDM, disse que o Senhor mandou-o não traduzir de novo as 116 páginas que foram roubados de Martin Harris porque houvem pessoas que iam alterar o texto original para produzir evidência falsa de sua fraude, mas esta explicaҫão não satisfaz os que não crêem no chamado profético de Joseph Smith.

Há vários problemas com este criticismo que serão discutidos logo. Depois de uma examinaҫão mais profunda, é possível que a história da perda das 116 páginas do LDM possa dar mais credibilidade à afirmaҫão que Joseph tinha poderes divinas, dando-o a abilidade traduzir um registro antigo. A história das 116 páginas perdidas podem aumentar a fé em Joseph Smith pelas razões seguintes:

  1. Joseph Smith não tinha um manuscrito de que ele foi ditando: Reconhecendo o gênio do LDM e a ignorância de Joseph, muitos teorizam que Joseph roubou um manuscrito de alguém muito mais inteligente, como Solomon Spaulding (ver https://www.lds.org/topics/spaulding-manuscript?lang=eng for a detailed history of the theory) ou Sydney Rigdon. Também teorizam que ele escreveu as páginas por si mesmo e depois fingiu ditar de um registro antigo ao ser escondido dos escribas. Se Joseph foi usando um manuscrito de qualquer outra fonte, ele teria a capacidade reproduzir as mesmas 116 páginas para provar seu chamado profético.

2. Se Joseph reproduziu as páginas perdidas, os críticos nao seriam satisfeitos: Reproduzindo as 116 páginas tão facilmente iam dar muito mais muniҫão as teorias que alguém além de Joseph Smith escreveu o LDM. Quando visto desta perspectiva, os que afirmam que Joseph não podia ter escrito o LDM por causa de suas abilidades acadêmicas limitadas tem dificuldades explicando porque Joseph ditou o manuscrito a um escriba e depois recusou produzí-las de novo.

3. Joseph não recebeu ajuda de seus escribas em criar o LDM: Depois da perda das 116 páginas, Joseph mudou escribas, escolhendo Olive Cowdery em vez de continuar a usar Martin Harris. A facilidade de mudar escribas sugere que os escribas não tinham parte ningúm no processo creativo de fabricar o LDM, e também apoia as afirmaҫões de Joseph e várias testemunhas que ele ditou o LDM por si mesmo sem ajuda dos outros. Oliver Cowdery e Martin Harris foram afastados da igreja algúm tempo depois do estabelecimento da igreja, que seria a oportunidade perfeita revelar a natureza verdadeira do processo da traduҫão falsa. Eles não fizeram isto, sugerindo que o que eles testemunharam durante o processo de traduҫão—que Joseph ditou hora após hora e dia após dia sem ajuda dos manuscritos—de verdade aconteceu.

4. Joseph não foi educado e precisava ajuda dos escribas para escrever. Se os críticos da Igreja dos Santos do Últimos Dias querem ganhar o argumento que o LDM foi uma produҫão da imaginaҫão de Joseph, eles também tem que conceder que ele tinha uma mente creativa e brilhante, tendo capacidade de decorar porҫões das escrituras extensas, e foi um leitor de uma grande colecҫão de livros que eles sugerem que ele tivesse lido antes de criar o LDM. Mesmo que tivesse grandes abilidades intelectuais, ele não tinha a abilidade suficiente para escrever o LDM por si mesmo. Faria muito mais sentido que se Joseph tivesse planejado por toda a sua vida para escrever um livro falso para ganhar dinheiro, que ele teria aprendido como escrever por si mesmo e evitar o risco de empregar muitos seguidores crédulos para imitar o processo de traduzir um registro antigo. É interesante que um homem supostamente tão brilhante como Joseph (e aparentamente com tanto tempo livre para ler) tivesse que contar com escribas para produzir seus escritos creativos. Depois de ter um escriba falhar por perder 116 páginas do manuscrito original, em vez de decidir continuar a fraude por si mesmo para evitar mais complicaҫões, ele decidiu empregar mais um escriba e ter um novo conjunto de complicaҫões.

5. Joseph continuou a traduzir o LDM do Livro de Mosías como ele teve um manuscrito de que ele foi ditando. Tem muita evidência para apoiar o facto que Joseph continuou ditando de onde ele parou a ditaҫão inicialmente até o fim do Livro de Moroni, e depois voltou ao início do LDM cronologicamente para produzir 1 Néfi até Palavras de Mormon (ver http://www.deseretnews.com/article/705384845/Scholars-Corner-The-stolen-chapters-of-Mosiah.html?pg=all). Isso quer dizer que se Joseph foi inventando o LDM, ele não tinha a abilidade voltar a o que ele ditou antes para revisar as detalhas de sua história e referir às detalhas mais tarde. Qualquer pessoa que escreveria um livro e perdiu o seu manuscrito ia pensar que seria mais fácil comeҫar o processo de novo do início do livro em vez de continuar onde parou e escrever o início depois, mas isto não foi o que Joseph fez. É mais interesante ao considerer que muitas escrituras de Mosías até o fim do LDM tem citaҫões exactas de eventos que aconteceram durante a época referida nas 116 páginas perdidas (compara-se Alma 36:22 e 1 Néfi 1:8. Alma 36 foi dito muito antes que Joseph voltasse a história de Leí e sua família em 1 Néfi, e ainda cita Leí exactamante em Alma 36). Isso aconteceu porque Joseph foi ditando as palavras de uma fonte além de sua mente propria, ou porque Joseph sabia antes que seria muito mais convincente se ele citasse escrituras encontradas em 1 Néfi no Livro de Alma e depois lembrar-se voltar a escrever a citaҫão quando ele comeҫou a traduҫão de 1 Néfi. Porém, Joseph provavelmente não tinha um manuscrito porque não produziu de novo as 116 páginas perdidas. Isso apoia a afirmaҫão que of LDM é uma traduҫão divina de um registro antigo.